Curiosidade Gastronômica: Francesinha

É a francesinha. Calma. Eu vou explicar tudo e vais entender o porquê do nome. Aqui em Portugal a fancesinha dispensa apresentações! É o prato do Porto (Norte de Portugal) por excelência (a par com as tripas) mas é apreciado em todo o país.
Mas qual é, afinal, a origem desta iguaria? Foi um português, ex-emigrante em França, que trouxe para a terra natal este prato. Ter-se-á inspirado na croque-monsieur (uma sandes quente feita com queijo, fiambre e presunto e que é grelhada ou frita) mas adaptando-a aos gostos e produtos nacionais.
Sendo assim, a francesinha começou a ser feita com pão bijou (típico do Norte), diversas carnes — fiambre, linguiça, salsicha e carne de porco assada — para o recheio e, na cobertura, uma dose generosa de queijo e, claro, o molho, espesso e picante. Esta nova sandes, que o seu criador queria tão picante quanto as mulheres francesas — daí a sua designação — foi ganhando apreciadores, sobretudo masculinos. Muitos dizem que é no molho que reside o real segredo de uma Francesinha saborosa.
Leva cebola, alho, louro, tomate, cerveja, vinho branco, maisena e os tradicionais temperos. Mas a verdade é que um bom molho de francesinha tem mesmo um certo “je ne sais quoi…”.
Se ainda não conhece a verdadeira francesinha, sugiro dois restaurantes no Porto que são autênticas catedrais desta iguaria — o Cufra, na Avenida da Boavista e o Capa Negra. Se algum dia vier a Portugal ou caso viva cá, faça uma visita a um desses restaurantes. Não se irá arrepender.
Estarei de volta em breve, com mais curiosidades. Se gostou, partilha por aí e volta pra saberes mais.
Escrito por: Jailson Pereira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *